Sobre nós

Nós trabalhamos juntos

Nossa equipe, composta por professores, alunos, pais e funcionários, trabalha em conjunto para criar um ambiente acolhedor e estimulante.

Aprovações
0
Alunos
+ 0 k
Colaboradores
+ 0
Docentes
+ 0

Instituto Santa Teresinha: Construindo histórias e educando para a vida

A história do Instituto Santa Teresinha está profundamente entrelaçada com a educação nas regiões de Bragança e do Guamá. Tudo começou quando a administração da Prelazia de Nossa Senhora do Rosário do Guamá foi confiada aos padres Barnabitas, liderados pelo padre Eliseu Coroli. Ele, ao perceber o grande déficit educacional da região nas primeiras décadas do século XX, dedicou-se a melhorar a educação e a saúde locais.

Padre Eliseu Coroli nasceu na Itália em 1900 e, desde jovem, desejava ser missionário. Após sua ordenação em 1924, ele veio ao Brasil, inicialmente trabalhando no Rio de Janeiro. Em 1930, foi enviado como missionário para a Amazônia, estabelecendo-se em Ourém, no Pará, e depois em Bragança, onde chegou em 1938 e foi nomeado Bispo em 1940.

Reconhecendo a falta de catequistas na região, padre Eliseu fundou uma escola de formação de professoras com a ajuda das Irmãs do Preciosíssimo Sangue. Com apoio do governo local e das famílias da região, o Instituto Santa Teresinha foi oficialmente fundado em 1938. A escola começou com cursos primários e normais, e logo se expandiu, oferecendo uma educação abrangente que incluía disciplinas como português, aritmética, geografia, história e ciências.

Mesmo durante a Segunda Guerra Mundial, quando o prédio do Instituto foi temporariamente desapropriado para uso militar, padre Eliseu continuou seu trabalho educativo. Em 1944, o prédio foi devolvido, e a escola continuou a crescer, culminando na formação da Congregação das Irmãs Missionárias de Santa Teresinha em 1948.

O Instituto Santa Teresinha evoluiu ao longo dos anos, passando a fazer parte da rede pública estadual de ensino em 2014, com a Escola Estadual de Ensino Fundamental Santa Teresinha. A expansão do Instituto foi necessária para atender à crescente demanda educacional da região, e hoje continua a ser um pilar importante na educação de Bragança e do Guamá.

Um Pioneiro na Educação e Saúde da Amazônia

Dom Eliseu Maria Coroli nasceu em Castelnuevo, Itália, em 9 de fevereiro de 1900. Desde jovem, ele tinha o desejo de se tornar missionário, ingressando na Escola Apostólica dos Padres Barnabitas aos 11 anos. Após anos de formação, ele professou seus votos perpétuos em 1917 e foi ordenado sacerdote em 1924.

Em 1924, Dom Eliseu veio ao Brasil, inicialmente trabalhando no Rio de Janeiro como Vice-reitor da Escola Apostólica dos Barnabitas. Em 1930, foi enviado como missionário para a Amazônia, estabelecendo-se em Ourém, no Pará. Em 1934, a sede da Prelazia de Nossa Senhora do Rosário do Guamá foi transferida para Bragança, e Dom Eliseu foi nomeado Administrador Apostólico.

Reconhecendo o grande déficit educacional e de saúde na região, Dom Eliseu fundou o Instituto Santa Teresinha em 1938, com o apoio das Irmãs do Preciosíssimo Sangue. A escola começou oferecendo cursos primários e normais, com o objetivo de formar professores e catequistas para a região.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o prédio do Instituto foi temporariamente desapropriado para uso militar, mas Dom Eliseu conseguiu recuperá-lo em 1944. Sob sua liderança, a escola continuou a crescer e a desempenhar um papel crucial na educação da região. Em 1948, ele fundou a Congregação das Irmãs Missionárias de Santa Teresinha.

Dom Eliseu Maria Coroli é lembrado como um pioneiro na educação e saúde da Amazônia, dedicando sua vida ao serviço missionário e à melhoria das condições de vida na região. Seu legado continua a ser celebrado e seu impacto é sentido até hoje em Bragança e no Guamá.

Santa Teresinha é a patrona do Instituto Santa Teresinha

Santa Teresinha do Menino Jesus, também conhecida como Santa Teresinha de Lisieux, nasceu em 2 de janeiro de 1873, em Alençon, na França, com o nome de Marie Françoise Thérèse Martin. Ela era a última dos nove filhos de Louis e Zélie Martin, ambos santos reconhecidos pela Igreja Católica. Desde criança, Teresinha mostrou um profundo amor por Deus e um desejo ardente de se tornar uma santa.

Aos 15 anos, Teresinha entrou no Carmelo em Lisieux, inspirada pelo desejo de se dedicar inteiramente a Deus pela vida religiosa. Lá, ela viveu uma vida simples de oração, humildade e serviço aos outros, seguindo a “pequena via” de confiança e entrega total a Deus em todos os momentos.

Teresinha é conhecida por seu “Caminho da Infância Espiritual”, onde ensinava a importância de realizar pequenos atos com grande amor. Ela escreveu sua autobiografia, intitulada “História de uma Alma”, que se tornou um dos livros espirituais mais lidos e amados do mundo.

Apesar de ter vivido uma vida curta e aparentemente sem grandes feitos aos olhos do mundo, Teresinha foi proclamada santa em 1925 pelo Papa Pio XI. Ela é considerada a padroeira das missões e é amplamente venerada por sua simplicidade, sua confiança total na misericórdia de Deus e sua doutrina da “pequena via”.

Santa Teresinha do Menino Jesus faleceu em 30 de setembro de 1897, aos 24 anos de idade, depois de uma longa batalha contra a tuberculose. Seu impacto espiritual continua a inspirar milhões de pessoas em todo o mundo a buscar a santidade através da confiança na bondade e no amor infinito de Deus.

Além de sua influência global, Santa Teresinha é a patrona do Instituto Santa Teresinha, em Bragança, cuja fundação e missão educacional são inspiradas por seus valores de amor, simplicidade e dedicação a Deus.